Primeiro dia de primavera..

Em março, (pierwszy dzien wiosny – primeiro dia de primavera, e 21 ) quando o gelo derrete nos rios poloneses, os jovens cultivam um antigo costume eslavo, onde preparam a Marzanna, uma boneca de palha, com roupas coloridas,  que é levada, entre risos e deboches, ao rio para ser queimada e jogada em suas águas, com isso todos se despedem do rigoroso inverno. Era também a garantia de sorte e abundância para o ano todo.  Este antigo costume eslavo ainda sobrevive em várias regiões da Polônia. 

 

 

 

 

Barbórka

BARBÓRKA

Dia 4 de dezembro e celbrada na Polonia a festa de Santa Barbara padroeira dos mineiros chamada Barborka. Na Polônia especialmente, na Silésia , onde o trabalho de mineiro ocupava muitos homens no passado, Barborka foi uma ocasião festiva para todos os trabalhadores e também para as suas famílias : Missas com procissões e concertos para pedir a proteção da Santa. Jantares dançantes  para comemorar e agradeçer por estar vivo...

 

 

 

 

 

 

 

 

fot internet

Dia 1 de Novembro

Esta chegando dia 1 de Novembro, Wszystkich Swietych, os cmiterios na Polonia, mudam de "cor" de lugar cinzento e meio assombril, eles começam a receber muitas e muitas visitas, os tumulos passam por processo de limpar e arrumar, colorido dos flores e velas mudam a paisagem, familhas inteiras comemoram esse dia a memoria dos antepassados.

Casa Brasileira

CASA SANGUSZKO CONVIDA

Trans-Atlantico

Com curadoria de Marta DziewanskaDieter Roelstraete e Abigail Winograd, a mostra foi organizada pelo Museu de Arte Moderna de Varsóvia em 2017, tendo passado pelo Garage Museum of Contemporary Art em Moscou em 2018.

A exposição examina um breve momento, embora historicamente significativo, na era pós-guerra, quando artistas da Europa Oriental e América Latina compartilharam um entusiasmo por Arte Cinética e Op Art. Essa tendência representou uma alternativa e um desafio para o consenso crítico da arte dominante no Atlântico Norte. Enquanto o Expressionismo abstrato, a Arte Informal e a Abstração lírica reinavam supremos nos centros de arte estabelecidos de Paris, Londres e Nova York, um capítulo distinto da história da arte estava sendo escrito, ligando os pólos de Varsóvia, Budapeste, Zagreb, Bucareste e Moscou com Buenos Aires, Caracas, Rio de Janeiro e São Paulo.

Uma rede de práticas artísticas foi forjada, seus artistas se comprometeram com um conjunto inteiramente diferente de questões estéticas surgidas no contexto de realidades políticas e econômicas análogas. O florescimento da Arte Cinética e da Op Art nessas regiões foi, em grande parte, uma manifestação de fascínio pelo movimento, seus efeitos estéticos e as oportunidades dinâmicas que gerou, criando novas possibilidades para o engajamento do público.

Desde modo, a mostra apresenta obras de mais de 40 artistas e coletivos vindos de ambos os lados do Atlântico, apresentados em uma narrativa que reflete fatos comuns entre seus interesses e intuição criativa.  Através de um foco em arte que ultrapassou objetos estáticos e definições claras do papel do artista, o caráter de uma obra de arte e o papel do espectador, a exposição tenta reescrever um capítulo marginalizado da história da arte após a Segunda Guerra Mundial através da uma perspectiva geopolítica diferente.

Em São Paulo, a mostra organizada pelo Sesc SP, em colaboração com o Museu de Arte Moderna da Varsóvia, com o Museu de Arte Contemporânea GarageInstituto Adam Mickiewicz e com a Casa Sanguszko de Cultura Polonesa, seleciona além das obras originalmente apresentadas em Varsóvia e Moscou, um maior número de obras de arte da América Latina, tendo contado com a colaboração da pesquisadora Ana Avelar.

Exibiçao

A partir de 9 de agosto 2018 no SESC Pinheiros  

Levante de Varsovia

 74 anos .......... se passaram....

A Revolta, Levante ou Insurreição de Varsóvia (em polaco Powstanie warszawskie) foi uma luta armada durante a Segunda Guerra Mundial na qual o Armia Krajowa (Exército Clandestino Polaco) tentou libertar Varsóvia do controle da Alemanha Nazi.

Teve início em 1 de agosto de 1944, às 17 horas, como parte de uma revolta nacional, a "Operação Tempestade", e deveria durar apenas alguns dias, até que o Exército Soviético chegasse à cidade. O avanço soviético no entanto foi interrompido, mas a resistência polaca continuou por 63 dias, até sua rendição às forças alemãs em 2 de outubro.

Embora o número exato de baixas permaneça desconhecido, estima-se que aproximadamente 16,000 integrantes da resistência polaca foram mortos e 6,000 gravemente feridos. Entre 150,000 e 200,000 civis morreram, a maioria vítima de massacres conduzidos por tropas do Eixo. As perdas alemãs totalizaram aproximadamente 16,000 soldados mortos e 9,000 feridos. Durante o combate urbano, perto de 25% dos prédios de Varsóvia foram destruídos. Após a rendição das forças polacas, as tropas alemãs destruíram sistematicamente, quarteirão a quarteirão, 35% da cidade. Juntamente com os danos provocados pela Invasão da Polônia em 1939 e o Levante do Gueto de Varsóvia em 1943, mais de 85% da cidade estava destruída em 1945, quando os soviéticos finalmente ultrapassaram suas fronteiras.

Monte Cassino-Czerwone maki na Monte Cassino..

74° aniversário da batalha de Monte Cassino

A Batalha e um simbolo de luta pela liberdade da Polonia, durante II Guerra Mundial, simbolo de heroismo e sacrificio. 

 

http://www.youtube.com/watch?v=Iab33qfDW-g 

Na musica vc ovi: (...) Papoulas vermelhas na Monte Cassino beberom sange de soldados poloneses no lugar do sereno(...)

fonte internet

(...)Czerwone maki na Monte Cassino zamiast rosy pily polska krew..(...)

3 de Maio

A Constituição Polonesa de 3 de maio de 1791 (polonês: Konstytucja Trzeciego Maja) é considerada a primeira moderna constituição nacional codificada da Europa assim como a segunda mais antiga no mundo. Foi instituída por Ato de Governo (polonês: Ustawa rządowa) aprovada naquela data pela Sejm (parlamento) da República das Duas Nações. Ela foi idealizada para reparar defeitos políticos há muito tempo existentes na federativa República das Duas Nações e sua Liberdade dourada. A Constituição introduziu a igualdade política entre as "pessoas comuns" e a nobreza (szlachta) e colocou os camponeses sob a proteção do governo, para desse modo atenuar os piores abusos da servidão. A Constituição aboliu perniciosas instituições parlamentares como, por exemplo, o liberum veto, que havia colocado a sejm a mercê de qualquer deputado que pudesse votar, ou ser subornado por um interesse ou força estrangeira, desfazendo toda a legislação que tivesse sido aprovada por aquela sejm. A Constituição de 3 de maio buscou suplantar a anarquia existente nutrida por alguns dos magnatas reacionários do país, com uma monarquia constitucional igualitária e democrática.

Jan Matejko

A adoção da Constituição de 3 de maio provocou uma reação de hostilidade por parte dos vizinhos da República. Na Guerra em defesa da Constituição, a Polônia foi traída pela sua aliada a Prússia de Frederico Guilherme II e derrotada pela Rússia Imperial de Catarina, a Grande, aliada com a Confederação Targowica, uma conspiração de magnatas poloneses que se opuseram às reformas que poderiam enfraquecer suas influências. Apesar da derrota e a subseqüente Segunda partição da Polônia, a Constituição de 3 de maio influenciou os movimentos democráticos posteriores no mundo. Permaneceu, após o desaparecimento da República em 1795, pelos próximos 123 anos das partições polonesas, um ideal a ser atingido na luta para se conseguir o restabelecimento da soberania polonesa.

fonte internet

Sub-categorias